quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Fazer o quê?


Eu tenho um filho extremamente desorganizado.
Perde a hora quase todo dia.
Sai atrasado, inclusive quando é do interesse dele, porque deixa para fazer tudo na última hora.
Não tem caneta, lápis e muito menos borracha na mochila porque já perdeu todo material escolar que eu comprei no começo do ano.
Se alimenta de qualquer jeito quando eu não estou porque tem preguiça de lavar uma fruta ou fazer um sanduíche.

Mas eu não vim aqui enumerar os defeitos que uma pessoa desorganizada tem e sim o que isso pode acarretar.
Já passei pelas dificuldades braçais da maternidade. Amamentar, trocar fralda, carregar no colo, ensinar a andar e dar a mão pra não cair...
A verdade é que nada nos prepara para o que vem a seguir.
E nem teria como alguém nos preparar porque cada filho é de um jeito e esse manual seria infinito.

E o que vem a seguir? Deixar eles lidarem com a consequência dos seus atos.
Simples.
Parece mesmo...
Mas não estou achando nada simples ficar olhando o cara perder um monte de oportunidades por causa da sua falta de organização.

Ficar de recuperação porque esqueceu de entregar um trabalho até o prazo...
Ter que fazer trabalhos extras para compensar as faltas que toma porque chega atrasado na segunda aula...
Perder a excursão da escola por que não me entregou o bilhete do passeio a tempo e esgotaram as inscrições...

E não dá nem tempo para eu me achar culpada, fazer aquela reflexão introspectiva e pensar aonde eu errei... Não! O filho adolescente já joga toda a culpa em cima da gente antes de qualquer drama. Não dá tempo de se vitimizar... Já tem que se defender!

Eu que sempre finquei o pé e quis criar filhos independentes já me peguei pensando se eu não deveria acordar mais cedo para tirar ele da cama.
Já levei, e ainda levo, fruta lavada na mãozinha enquanto o cidadão está vendo um filme ou jogando no computador.
Já cansei de arrumar a mochila de treino porque ele estava atrasado.

Cansei.
E agora?
Fazer o quê?

Queria taaaaaanto saber a resposta dessas perguntas.



terça-feira, 10 de maio de 2016

Superando a liberdade adolescente dos filhos

Meu filhos cresceram.
Isso é um fato que não se pode negar.
Ainda não são donos das próprias vidas completamente, mas já circulam livremente por aí.
Já venho sentindo essa independência na pele desde que o primogênito se jogou por aí. Theo e Luca já vão e voltam sozinhos da escola. Vão pedalando para os compromissos de esporte e tals... E o Theo vai até no dentista sozinho, já há algum tempo.
Hoje, estava me desdobrando para acompanhar o Luca no dentista. Fiz o cabelo de ballet da Lia com antecedência, organizei a minha bolsa pra sair de casa às 13:30 e só voltar às 22:00... 
No meio da correria, o Luca fala:

- Mãe, porque eu não vou de bike pro dentista? Aí você consegue levar a Lia tranquila.

Verdade!
Deixei!
Dei o cheque pra ele pagar.
Ensinei o caminho (percurso novo) umas 3 vezes.
E mandei me ligar ASSIM QUE CHEGASSE LÁ!!!

Demorou um pouquinho. 
Quando me ligou, me contou que se perdeu um pouco, mas achou o prédio do consultório.

Depois da ligação rolou um aperto no coração e um cisco no cantinho do olho.
Agora só me resta a Lilica pra levar no dentista. (Inclua muito drama neste momento)

Logo na semana que eu descobri que esse ano foi o último ano de evento de "Dia das mães" (pra mim) na escola... Sim! Ano que vem a Lia estará no 6º ano (SEXTO) e já não tem mais essas bobeiras... 

Me abraça?

 
Minha prole, com 66% dela maior que eu! 

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Dois desafios

Então que a Lia "Maria", que está com 9 anos, está com a mania irritante de escrever em TUDO com CANETA.
Chega da escola toda "tatuada" e com o tênis desenhado.
Até aí, eu estava levando muito bem. É fase. Vamos deixar a menina se expressar artisticamente, caneta dá pra limpar, blá, blá, blá...
Mas segunda-feira ela foi longe demais.
Ela desenhou na camiseta. Bem na barriga. Deve ter olhado e percebido que fez besteira e teve a ideia GÊNIA de passar corretivo liquido (ainda chama errorex?).
Qdo eu cheguei para dar aula para a turma dela na escola (de sapateado, lembram?) eu me deparei com o serviço da artista.
Dei-lhe uma pequena bronca (proporcional ao fato de estarmos em público, não proporcional a cagada) e torci para que a bobagem fosse desfeita com os santos produtos alvejantes que estão disponíveis no mercado.
Mas... Já esfreguei. Já deixei de molho. Já esfreguei de novo. Já foi pra máquina 3 vezes.
E assim ela está no momento:



A caneta está quase saindo e o errorex está intacto!
Segue aí um novo desafio para as empresas de sabão.
Tirar mancha de caneta tá tranquilo.
Quero ver sair errorex!!!

O meu desafio é ensinar pra essa garota desenhar só no papel porque não temos árvore de dinheiro no quintal...
Inclusive, não temos nem quintal.

quinta-feira, 31 de março de 2016

Voltei! De novo! Sim, novamente!


Estava eu, ontem, na minha humilde residência, acessando a rede social mais acessada desse mundo
(não sei se esse dado está correto, mas é o facebook mesmo) quando apareceu para mim uma publicação com as minhas lembranças de 30 de março de vários anos.
Dentre elas, um post meu deste bloguito amado (e largado) de QUATRO ANOS ATRÁS!!!
Fiquei toda nostálgica e fui correndo mostrar para os meninos (Theo e Luca). Rimos muito com a história que havia acontecido na classe do Theo. Na época, troquei os nomes para não ser processada (vai saber?).
Para ver o post clique AQUI.

Foi muito legal.
Fiquei com muuuuuita saudade.
Lembrei como é bom ter essas recordações guardadas.
Fiquei com vontade de escrever.
Hoje abri o blog e escrevi uma história que aconteceu essa semana aqui em casa.
Maaaas só vai ser publicada amanhã.
Ah, volta amanhã, vai!!! Não fica brava. Ou bravo.
O que que custa?
Eu não podia voltar sem dar oi... Dar uma explicação e tals...

Então, combinado!
Amanhã, às 8:00 em ponto.
Beijo



Ps.: Preciso dedicar esse retorno ao Mark Zuckerberg e sua equipe maravilhosa que inventaram nos mostrar essas lindas lembranças (por enquanto todas foram lindas).
Beijo Zuck. Essa foi boa!

Ps2.: Esse tempo todo fora e o blogger não trouxe os emoticons para essa plataforma? Demorou! Como faz para escrever sem desenhinhos nos dias de hoje?

Ps3.: Aquela imagem lá em cima é só porque eu odeio link sem imagem.

Ps4.: Não vou fazer piada com Ps3 e Ps4. Meus filhos me matariam!

domingo, 19 de julho de 2015

Cegueira em jejum

Aqui em casa acontece um fenômeno incrível, mas que ainda não é reconhecido pelos cientistas, que eu nomeei: Cegueira em jejum.

Concluí esse fenômeno depois do estudo chamado: Manhãs da minha vida.

Meus dois filhos mais velhos (13 e 15) acordam mais cedo que eu. Fazem seu café da manhã, (voltam pra cama para tomar café da manhã na cama) e vão para a escola. Quando eu acordo, a pia e a mesa da cozinha encontram-se num estado deplorável lotadas de migalhas, pó de achocolotado, etc, etc, etc.

Como não posso xingar ninguém naquele momento, eu limpo, tomo café da manhã e levo a minha filha para a escola.

Na hora do almoço, quando os questiono, tudo que eu escuto é:
"Não fui eu" ou
"Eu limpei a minha parte"

E foi assim que eu concluí a minha tese.
Como eles comem na cama (que absurdo, eu sei!) saem da cozinha em jejum e não conseguem VER, de fato, a sujeira que fizeram.
Só pode ser...