quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Filhas postiças

Vivo contando aqui as peripécias dos meus filhotes, mas hoje vou falar das minhas filhas postiças.

Sou professora de sapateado e com 14 anos de profissão já perdi as contas de quantas já passaram pela minha vida, mas com certeza foram muitas.
Algumas, talvez eu nem reconheça na rua de tão crescidas que devem estar, outras tento acompanhar de alguma maneira, mesmo elas tendo abandonado a mim e a dança!

Hoje tenho por volta de 54 filhotas que me deixam de cabelo em pé. Passo 2 horas por semana com elas, mas elas fiscalizam a cor do meu esmalte, porque eu pintei o cabelo, querem saber aonde eu comprei o meu sapato, o de sapateado e até mesmo os normais, se eu vou viajar, por que e etc...

Quando eu soube que teria uma menina, a tercerinha, eu achei que não ia dar conta da demanda de criar uma menina, por conta da experiência com as minhas alunas, porque elas brigam demais, choram por qualquer coisa, se maqueiam desde cedo, e eu não sou nem um pouco assim. Sempre fui moleca e tento ser até hoje!

No final, essa relação me ajudou muito, porque eu sei exatamente o que eu pretendo na educação da minha filha, sem manhas, sem gritos e escândalos femininos (é claro que nem sempre dá certo) e principalmente sem maquiagem inadequada e esmalte vermelho antes da hora.
Agora troco figurinhas com as minhas filhas emprestadas, e fico de olho na sandalinha linda, no penteado diferente e no enfeite de cabelo pra poder copiar pra minha princesa.


Me identifico com algumas, tento consertar outras, mas no fundo amo TODAS ELAS!




    

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Feriado!!!

Vocês que são mães devem imaginar a minha bagagem para ir viajar com os três... eu sozinha já sou um pouco exagerada, ou melhor prevenida!!! A minha irmã sempre tira sarro da quantidade de sapatos que eu levo em uma viagem. A gente chega ao destino e a 1ª coisa: -"E aí, Ju, quantos sapatos você trouxe?hahaha". Às vezes sou obrigada a concordar com ela, pro Rio esse ano levei uns 10 pares de sapato e só sai de havaianas. Mas é vivendo que se aprende, ano que vem só levo 7!

Com as crianças é um pouco mais complicado. Não dá para arriscar levar um casaco a menos, por exemplo, e fazer aquele frio e chuva que não seca a roupa de jeito nenhum!
Quando eu vou para a Fazenda, eu tenho que levar alguns artigos de 1ª necessidade como remédios, e alguns itens de supermercado que eu não posso arriscar não encontrar por lá. Fora algumas comidinhas prontas pra facilitar a vida. Resultado: 5 malas, 4 malinhas, 2 sacolas térmicas, 2 sacolas de feira com suprimentos, fora brinquedos e 7 travesseiros! Dizemque na volta a bagagem se multiplica, não sei como!

Meu marido sempre fala que não vai caber a bagagem no carro, eu fico brava, arrumo o porta-malas, ele quer que sobre um espaço para a mochila dele que contém livros e notebook (que tem que ir por cima pra não amassar), e no final das contas, não cabia mesmo, mas como é tudo artigo de primeira necessidade, vai tudo no meu colo, no meu pé, e eu vou treinando contorcionismo até lá...3 horas de viagem, se tudo der certo!

Imaginem, agora, somada a essa bagagem toda, um peludinho lindo e uma malinha pra ele, é claro!
Vou me esforçar ao máximo desta vez para diminuir as malas, não vou levar comidinhas prontas, e brinquedos nem pensar, eles nunca brincam com o que levam mesmo!
E no meu pé, não pode ir nada, porque agora é o lugar do Joey!

Bom feriado!
I'm going to the Paradise...

domingo, 25 de outubro de 2009

Joey

   Quando eu era criança eu sonhava em ter um cachorrinho, mas minha mãe não era assim, como eu posso dizer, FÃ de animais. Eu pertubei tanto os meus pais que um belo dia eles me deram um rottweiler, só que para ficar no interior, que já era alguma coisa!

   O nome dele era Milk (eu sei que é estranho prum rottweiler) e eu era a pessoa mais feliz do mundo. Infelizmente ele morreu muito cedo, com apenas 5 anos. Mas a essa altura já tinhamos tido uma fêmea, a Laika, que teve uma ninhada, ficamos com o Truck. Para namorar com o Truck compramos a Vick, que teve uma ninhada e nos deu o Fred!!! Hoje em dia todos eles já se foram, uns morreram, e outros, como a Vick, foram doados...

   Um belo dia, eu já com 2 filhos, meu marido resolveu me agradar e me deu uma beagle para ficar num apartamento bem pequeno que moravamos quando casamos. O nome dela é Bia. Ela ficou por um tempo em casa e depois de ela destruir tudo por lá, mandamos ela pro interior também! A história dela é triste porque assim que ela chegou lá, ela foi "cheirar" uma vespa e foi picada no olho e ficou caolha!

   Há três dias fui buscar o novo membro da minha família: Joey. Um Lhasa Apso que eu me apaixonei no primeiro instante que eu vi, por foto! A desculpa de que é muito bom para as crianças, (o que eu acredito, e é um fato) me permitiu virar criança e realizar um sonho:

"Ter o meu próprio cachorrinho morando comigo, me acompanhando e me fazendo MUITO feliz"


quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Mãe Coruja


Começou o "Campeonato Gremetal" e os meus filhotes estão indo muito bem!
O Luca, o mais novo, começou arrebentando e já saiu no jornal 2 vezes. Uma é essa aí em cima, a outra foi como destaque do jogo contra um time super difícil, em que ele fez 2 gols!
Me chamem de coruja, mas além de ser LINDO é bom de bola!!!

Culpa de Mãe = PLEONASMO


Voltei, pessoal!

Depois das férias e do surto de gripe suína, ainda entrei em uma temporada de estudos!

Prestei um concurso público e para isso tive que abdicar de algumas funções aqui de casa. Levar, buscar, botar para dormir...

Com isso veio a tal da CULPA!

E aqui entre nós, meus filhos não facilitaram em nada essa fase. Tiveram "dores de barriga" e afins, me cobraram coisas que naquele momento eu não podia fazer, voltaram em problemas já superados. Enfim, fora a culpa de não estar com eles em tempo integral (que sempre foi uma prioridade pra mim) vieram cobranças e tive que abrir mão de alguns compromissos.

Depois de três filhos e muita leitura sobre o tema "Maternidade sem culpa" eu confesso que não aprendi nada! Mesmo porque eu acho realmente que a culpa é sempre minha...e não é drama não, é convicção.

Paro pra pensar nas mães que trabalham o dia inteiro e vivem com essa culpa diariamente e me vem uma vontade imensa de tentar chegar lá: simplesmente conviver com isso.

Se fosse fácil assim...

Trabalhar o dia inteiro, checar se a dispensa está abastecida, levar as crianças no pediatra, lembrar de TUDO, suas coisas, delas e ainda do marido, ir ao médico, fazer telefonemas indispensáveis, e nas horas vagas (????) namorar, fazer as unhas e cabelo, malhar, passear, manter contato com as amigas, fazer favores para mãe, sogra, vó, irmã, cunhada...entre um milhão de coisas necessárias que agora eu esqueci.
Esse post é inteiramente dedicado a vocês: Mães culpadas por tentarem ser MULHER MARAVILHA.


Tentar não sentir CULPA, se conseguirem, me avisem!!!

sábado, 18 de julho de 2009

Férias!!!



Cinema, teatro, parques e mais parques, atividades em shoppings e, para quem tem o privilégio, um bom dia de sol na praia!
Férias com três crianças famintas de diversão não é fácil, dá uma canseira...
Eu tava querendo colocar aqui algumas dicas de passeios e tal, mas pensei que é só abrir o jornal que achamos o que é necessário.
Agora vou me embora pro mato, chega de inventar programação, lá a natureza se encarrega.
Mas vou deixar, sim, uma ótima dica para um dia chuvoso, ou um dia em que você cuida de 5:


A boa e velha CABANINHA!!!


Isso mesmo, aquela de lençol pendurado pelo quarto ou sala, que encanta as crianças das mais variadas idades. Se conseguir fazer em volta de uma TV, melhor ainda... aluga um filminho, faz um balde de pipoca e eles vão se sentir o MÁXIMO!!!


Boas férias para vocês!!!

sábado, 11 de julho de 2009

Nus

Meus filhos tem a estranha mania de tirar a roupa de todos os bonecos e bonecas.

Ninguém escapa. São Max Steels, Hello Kit, nenês e bonecas de pano completamente nus, participando normalmente das brincadeiras!

Coitado do Max Steel tendo que enfrentar o inimigo completamente desprovido de roupas!!!

Confesso que me irrita vê-los dessa maneira e vez em quando eu cismo e coloco a roupa em todos, mas não dura nem uma semana.

Agora eu pergunto:

Meus filhos são normais? Todos as crianças fazem isso, ou são só os meus?

Peço que os leitores e amigos que lerem este post me ajudem a achar os meus filhos menos anormais...Ou não!







quinta-feira, 9 de julho de 2009

Inverno X Verão


Desde que eu me lembro de pensar no assunto, gosto mais do Inverno do que do Verão. Ou gostava...

Um bom filme, edredon e para completar tinha que cair uma boa chuva!

Hoje em dia o frio e a chuva não são mais tão bons pra mim. Eu até consigo curtir UM dia de chuva debaixo do edredon (levantando várias vezes, é claro), mas se "eles" resolvem não ir embora por algum tempo começam os problemas:


  • Sair de casa com 3 crianças em dia de chuva é uma manobra nem um pouco divertida, mesmo que seja para ir a um lugar coberto. Mesmo porque, depois de alguns dias de chuva, acabam as opções de lugares cobertos para ir. Ainda mais nas férias!!!

  • Inevitáveis discursos sobre o males de andar descalço em dia frio, que acabam sempre do mesmo jeito: "Põe a meia"..."Não quero saber se você tem calor no pé, estou mandando"

  • E os piores: gripes, resfriados, viroses, infecções de garganta, ouvido e afins.

É muito triste e maçante ver um filho ou uma filha com dificuldade de respirar, tossindo e chorando por tudo isso. Neste caso, só tem uma coisa pior: você estar com a mesma gripe e sentindo as mesmas dores, só que como uma boa mãe, MADURA que é, sabe que chorar não vai resolver e nem vai fazer o Rinossoro (que está na cozinha e você precisa colocar no nariz dela) vir voando como "Suuuuuuflair".


Põe a gripe no saco, levanta e vai pegar o que for necessário para ela se sentir melhor, mesmo que pareça que você correu uma maratona só de ir até lá e voltar.


Sabe, eu ADORO ser mãe e, sinceramente, acho que é o que eu faço de melhor, mas às vezes dá vontade, mesmo que só por alguns instantes, voltar a ser SÓ filha de novo.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Marley & nós


Ontem assisti o filme "Marley e Eu". Um pouco relutante, inclusive, porque queria ler o livro primeiro, mas gostei tanto que me animou ainda mais a ler o livro.

Choradeiras mil e várias coisas interessantes, mas um diálogo em particular me chamou a atenção, adorei!


O casal do filme naquela cena tinha 2 filhos, e a mãe largou o emprego por opção e só cuidava dos filhos:


Ela diz:

- Ninguém lhe diz como tudo isto vai ser difícil.

ele:

- Qual parte?

- O quê? Tudo. Casar, ter filhos. É o emprego mais difícil do mundo e ninguém o prepara para ele. Ninguém lhe diz de quanta coisa você tem que abrir mão.

- Parece que lhe dizem, mas, sei lá, você não ouve, ou pensa "Eles são infelizes"


É ou não é?
E pra concluir devo dizer que fiquei numa dúvida ainda maior:
Comprar ou não um cachorro?
Que tamanho?
Esperar mais ou não?

domingo, 5 de julho de 2009

De Fada Madrinha à Madrasta Má

"Salagadula mexegabula bibidi-bobidi-bu

Junte isso tudo e teremos então

Bibidi-Bobidi-Bu

Salagadula mexegabula bibidi-bobidi-bu

Isso é magia, acredites ou não

Bibidi-Bobidi-Bu"




Depois de um fim de semana intenso no quesito "Cinderela", isso é tudo o que conseguimos cantar aqui em casa...
A minha pequena se encantou com a história, com o príncipe e como toda criança, viu 569 vezes.
A mãe dela conseguiu ver 2 vezes e 1/2 e fugir...
Ela dizia:
- Mãe, rasgalam o vestido da Cindelela... O rosa!!!
- Calma, filha, a fada madrinha vai dar um novo muito mais lindo pra ela...

Como será quando ela for a princesa, e diante das decepções dela, eu tiver que contar pra ela que a fada madrinha não vem para consertar? Ou quando o Príncipe deixar ela esperando e não aparecer sem sequer deixar um recado? Como será?
Com certeza não poderei fazer muita coisa...a não ser enxugar as lágrimas dela e como uma boa Fada Madrinha sair pra comer uma dúzia de bombas de chocolate!!!
Posso, pelo menos, cuidar para que os príncipes aqui de casa não deixem suas gatas borralheiras esperando, e não magoem suas princesas.

E "AI" daquela que magoar os meus príncipes, de fada madrinha posso num instante me transformar numa Madrasta Má...

terça-feira, 30 de junho de 2009

Mãe-mulher-maravilha

Acredito mesmo que os nossos filhos nos achem super-poderosas mas essa foi demais!!!


Conversando com o meu filho:

- Sabe quem eu vi hoje no cabelereiro?

- Quem?

- O Molina, jogador do Santos, ele tava lá com a mulher e a filha.

- E você não pediu o autógrafo dele pra mim?

- Não, filho, não sabia que você queria...

- O autógrafo dele é o primeiro da lista dos que eu quero. Sabe qual é o segundo?

- O Fabio Costa?

(cara de espanto)

- Como você sabe?

- Sabendo.

- Caramba, mãe, você sabe mesmo tudo que passa na minha cabeça...

Aí, a mãe se entrega e acaba com a ilusão do filho:

- Filho, sinceridade...eu só sei o nome desses 2 jogadores do Santos...rs




Chupeta







O meu primeiro filho chupava chupeta e eu achava ótimo. (Que não me ouçam os odontopediatras e etc).
Quando engravidei do segundo, que nasceria quando ele tivesse 2 anos, logo tirei a chupeta dele com medo dele ser aquelas crianças com 5 anos com chupeta na boca, pois pensei que vendo o nenê com a chupeta ele iria regredir, enfim... Foi super tranquilo, ele jogou as próprias chupetas fora e nada mudou. O segundinho, por sua vez, nunca pegou a chupeta...
Quando a baixinha nasceu fiz de tudo para que ela pegasse chupeta, porque a experiência do segundo sem chupar chupeta não foi das melhores já que eu era a chupeta!!! (Ele mamava no peito, o 1º não mamou)
Ela mamava no peito, chupava chupeta, todos os bicos, tudo lindo e maravilhoso...até que...um dia chegando em casa estavamos na garagem e ela tomou um tombinho que seria normal, daqueles que toma 10 por dia, se não fosse pela VALA que abriu na boca dela.
Depois de 2 hospitais, 3 injeções, 3 pontos com uma cirurgiã plástica e muito choro, vira a médica pra mim e fala:
- "Olha, mãe, chupeta nem pensar!"
Primeiro: alguém avisa as pessoas que eu tenho nome e ODEIO ser chamada de mãe por aguém que não seja meu filho!
Segundo: tadinha da minha filha que depois de tudo isso não ia poder chupar a chupeta dela traquila...
Encurtando a história (pra ver se eu chego onde eu quero) ela até que não reclamou muito a falta da chupeta, mas tava tão insuportável, que eu conversando com uma psicóloga resolvi devolver a chupeta quase um mês depois. (quanto erro depois de 3 filhos, não?)
Nossa vida melhorou, ele já não chorava mais o DIA INTEIRO, e meu marido inventou uma mágica para ela. Toda vez que ele dava a chupeta para ela ele fingia que tirava da orelha dela!
Ela adorava e tava tudo bem até que um dia as 3 chupetas dela evaporaram...revirei a casa toda e ela MORRENDO de sono, chorava!!! Até que na cabecinha dela ela achou a solução:
- " Mamãe o papai guarda a pepê na minha olela"
- " Filha, mas o papai tá no curso, só ele consegue"
Chorando - "Tá na minha olela, pega mamãe!!!"

Não sabia se matava ele no dia mesmo ou no dia seguinte...rs
Ela durmiu esse dia gritando, mesmo...não achamos o raio da chupeta.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Prazer, eu mesma...mãe de 3


Irmãos mais velhos têm um álbum de fotografia completo, um relato minucioso do dia que vieram ao mundo, fios de cabelo e dentes de leite guardados. Já os caçulas penam para achar fotos do primeiro aniversário e mal sabem a circunstâncias em que chegaram na família. É disso que fala o texto a seguir, que é uma tradução de um e-mail famoso nos Estados Unidos.


"O que vestir "


1º bebê - Você começa a usar roupas para grávidas assim que o exame dá positivo

2º bebê - Você usa as roupas normais o máximo que puder

3º bebê - As roupas para grávidas SÃO suas roupas normais


"Preparação para o nascimento "


1º bebê - Você faz exercícios de respiração religiosamente

2º bebê – Você não se preocupa com os exercícios de respiração, afinal lembra que, na última vez, eles não funcionaram

3º bebê - Você pede a anestesia peridural no oitavo mês

"O guarda-roupas "

1º bebê - Você lava as roupas que ganha para o bebê, arruma de acordo com as cores e dobra delicadamente dentro da gaveta

2º bebê - Você vê se as roupas estão limpas e só descartas aquelas com manchas escuras

3º bebê - Meninos podem usar rosa , né?

"Preocupações "

1º bebê - Ao menor resmungo do bebê, você corre para pegá-lo no colo

2º bebê - Você pega o bebê no colo quando seus gritos ameaçam acordar o irmão mais velho

3º bebê - Você ensina o mais velho a dar corda no móbile do berço


"A chupeta "


1º bebê - Se a chupeta cair no chão, você guarda até que possa chegar em casa e fervê-la

2º bebê - Se a chupeta cair no chão, você a lava com o suco do bebê

3º bebê - Se a chupeta cair no chão, você limpa na camiseta e dá novamente ao bebê

"Troca de fraldas "

1º bebê - Você troca as fraldas a cada hora, mesmo se elas estiverem limpas

2º bebê - Você troca as fraldas a cada duas ou três horas, se necessário

3º bebê - Você tenta trocar a fralda antes que as outras crianças reclamem do mau cheiro

"Atividades "


1º bebê - Você leva seu filho para as aulas de musicalização para bebês, teatro, contação de história...

2º bebê - Você leva seu filho para as aulas de musicalização para bebês

3º bebê - Você leva seu filho para o supermercado, padaria...

"Saídas "


1º bebê - A primeira vez que sai sem o seu filho, liga cinco vezes para casa para saber se ele está bem

2º bebê - Quando você está abrindo a porta para sair, lembra de deixar o número de telefone de onde vai estar.

3º bebê - Você manda a babá ligar só se ver sangue


"Em casa"


1º bebê - Você passa boa parte do dia só olhando para o bebê

2º bebê - Você passa um tempo olhando as crianças só para ter certeza que o mais velho não está apertando, beliscando ou batendo no bebê

3º bebê - Você passa um tempinho se escondendo das crianças

"Engolindo moedas"

1º bebê - Quando o primeiro filho engole uma moeda, você corre para o hospital e pede um raio-x

2º bebê - Quando o segundo filho engole uma moeda, você fica de olho até ela sair

3º bebê - Quando o terceiro filho engole uma moeda, você desconta da mesada dele.


Tradução Tamara Foresti

Mães

O texto do vídeo desse link é show de bola, e eu assino embaixo!
É longo, mas quem não conhece vale a pena perder esse tempinho.
Tentei colocar aqui o vídeo mas não consegui...eu ainda tô aprendendo, né, gente!!!
Vai o link:


Beijinho e divirtam-se


Aí a baixinha tava comendo a terra do vaso da minha sogra...rs!










quarta-feira, 24 de junho de 2009

Ser mãe é...




...sair correndo pra dar um banho no seu filho depois de um cocozão na calça, deixando esfriar aquele sanduba maravilhoso que você preparou salivando.



...perceber à meia noite que esqueceu de comprar água mineral para fazer o leite em pó do bebê e sair para achar um lugar aberto (na farmácia vende...ufa!)


...sair do trabalho no meio da tarde, pedindo licença no finalzinho da reunião, para ir ver o filho no teatro da escola. Detalhe: durante a peça você percebe que ele, no papel de gato, só miou 2 vezes. E claro: aplaude e diz que adorou!



...vai a 3 festas juninas, uma de cada filho, pesca, vai no touro mecânico, dança, e ainda consegue se divertir, porque, afinal, essa é a única programação do final de semana.



...ir à praia parecendo farofeira carregando: 2 body boards, bola de futebol, raquetes de frescobol, 4 toalhas (eu divido a minha com o meu marido), sacola com baldinhos, pás, carrinhos, bonecas, etc. E por fim uma bolsa com as suas necessidades básicas: protetor solar 15, 30 e 60, um pente, celular, mp3 e um bom livro pra conseguir ficar mais tempo ali olhando eles brincarem. ufa! Isso considerando que você ficará perto de uma barraca que venda água, petiscos e tudo mais.



Brincadeira à parte eu me divirto SIM!!!






Essa menina...


Como já havia dito tenho 3 filhos, sendo que os 2 primeiros são meninos.
Quando soube que a terceira seria uma menina, ouvia coisas do tipo "coitada dela com 2 irmãos mais velhos no pé não vai conseguir nem namorar".
E ainda ouço até hoje.
Mas ela está nos mostrando que se eles não botarem ela "no lugar dela" quem vai sofrer são eles...
Um dia na hora do almoço o meu filho do meio (7 anos) começou a chorar pq o macarrão do dia era talharim e não espaguete (como ele gosta) ??? - coisas que acontecem lá em casa...Enfim, ela parou de comer e começou a bater palma cantando: "Chora, chorão, pára de chorar..."
Lembrem-se que ela tem 2 anos...rsrsrs. O mais velho (9) e eu começamos a gargalhar, e tendo platéia, aí que ela não parava mesmo... Então criou-se uma situação, um chorava mais ainda, p. da vida, ela cantando e eu e o outro gargalhando...
A bagunça estava formada... mas o que eu quero dizer é que, se com esse tamanho ela já tira sarro do menino de 7 anos, como será a vida nesta casa daqui a um tempo???
No carro ela manda eles sentarem direito: - "Encosta!"
Na mesa ela coordena: "Senta...come..."
Coitados!!!!
Duas mães ninguém merece.
Quero dizer pra essas pessoas que sentem peninha dela no futuro, com a marcação serrada, que eu tenho pena deles, que na hora de ir no cinema pra namorar, ou até mesmo em casa querendo um pouco de privacidade terão uma pentelhinha no pé...

Quando a gente vira MÃE...


Assim que os nossos filhos começam a falar nos autodenominamos MAMÃE!!! Mamãe pra cá, mamãe pra lá...Achamos lindo e maravilhoso, até que eles banalizam a informação e o nosso título vira vírgula, ou simplesmente uma interjeição de sono...(meu filho está aprendendo as interjeições,rsrsrs)

Eu, particularmente, já passei por várias fases, a do "- Chama seu pai um pouquinhos,vai!!!" e agora com a baixinha da família falando tudo, e me chamando 357 vezes por dia, aconteceu um "refresh" de MAMÃE na minha vida!!!

Hoje em dia, o meu mais velho tá numa fase de transição em que ele me chama de mamãe em casa e de MÃE na frente dos amigos.Estou adorando ser MÃE, e estou vendo que esse é só o começo de uma série de mudanças no crescimento do meu primeiro bebezão!!!

-Pô, mãe...

Limites


Outro dia eu me peguei pensando nos limites que os meus filhos me impõem...sério...são muitos!!!

- Se eu estou há muito tempo no computador, navegando ou jogando, logo vem um e eu ouço "Tá viciada, hein!!!".

Isso porque eles tem horário, tempo e tudo mais, e rapidamente eu tenho que sair para dar o exemplo...

- Às vezes eu estou vendo um filminho e dá aquela vontade de comer um balde de pipoca, quando eu vejo, está quase na hora do jantar das crianças...NÃO PODE, senão eles vão querer atacar e ninguém janta...bom senso materno obrigatório. Aí, só depois da janta deles e se o filme tiver acabado...azar.

- Coisa boa era embalar na madrugada uma maratona das séries de tv, mesmo se não fosse a preferida. Só pode quem consegue ficar inteira no dia seguinte quando a criançada acorda no maior pique!! (não é o meu caso porque eu preciso dormirrrrrr)

Um dia desses eu estava lendo o meu atual livro de cabeceira do John Grogan "Cachorros encrenqueiros se divertem mais", que são histórias selecionadas da coluna dele no The Philadelphia Inquirer (que aliás, é ótimo para ler em parquinhos ou na praia, porque entre uma história e outra a gente dá uma checada na galera e não perde o fio da meada) e ele diz uma frase que explica bem isso:


"Passamos a metade das nossas vidas escondendo nossas imperfeições dos nossos pais para não decepcioná-los, e passamos a segunda metade escondendo-as dos nossos filhos pelo mesmo motivo."